reajuste de expectativas

Pra vida, reajusto minhas expectativas: tentar não crescer mais do que a selva de gigantes, não ultrapassar o limite do corpo e da mente (o céu é o limite).

Já não é necessário querer mais que os outros tantos, crescer é o necessário, e crescer pra dentro. Quando essas raízes já não derem mais conta de crescer em teu interior, aí é hora de parar. Mas você vai notar que elas nunca param de crescer, porque por mais raízes que se tenha dentro de si, elas nunca serão o suficiente pra sustentar nosso crescimento até o teto da mente.

É a vitalidade humana que nos move adiante, que alivia o peso da vida, que alguns chamam de arte, mas que hoje é sinônimo de vida. A arte já não é mais arte, e a vida já não é mais vida, ambos confundem-se. Da arte, a vida toma pra si a necessidade inata da expressão de si. E é aí que corre a seiva vital.

Depois de tentarmos fixar raízes nos ambientes à nossa volta, notamos que mais nos sugam do que o contrário. Deve ser por isso que aquele seu trabalho na repartição pública te exaure há anos. A coisa muda quando fixamos raízes no jardim interior.

Talvez seja da internet o mérito disso tudo.

A massa se esmigalhou. O rebanho tem se perdido, achando um pastor novo a cada encruzilhada. Igualmente, a meia dúzia de sonhos disputados pela craude agora adequam-se aos sonhadores, com um caimento quase sob medida. Cadê as promessas que nos fizeram no final do século passado?

Como num filme sobre a cabeça de John Malkovich, o teto agora é baixo demais pra cabermos todos de pé. Não é que não haja espaço pra todo mundo, mas é que todo mundo disputa o mesmíssimo espaço, esquecendo a vastidão da incompletude humana, todas as possibilidades e questões que merecem ser atendidas. E daí se você quiser trabalhar como mediador de rituais africanos obscuros na internet?

É preciso fluir na estrutura, ter liberdade suficiente pra se esgueirar no mundo, aprender com o cheiro das coisas todo dia, se reinventar e tentar, de novo e de novo. Ser só e ser livre, profissional e pessoalmente falando, pra viver a melhor época de nossas vidas, agora muito mais sem essa dissociação pessoal/profissional. Mas só se é livre quando se é pequeno, quando se assume a responsabilidade por si, e se tem noção de qual seu tamanho e importância nisso tudo. E você não é maior que um floco de neve, saiba disso. Não tem nada de mal em ser menor, desde que seja pra viver melhor. Os gigantes sempre tropeçaram mais fácil.

9 respostas em “reajuste de expectativas

  1. Mesmo sendo suspeita pra falar disso e correndo o risco de redundâncias desnecessárias (ando tão minimalista que até palavras me parecem cada vez mais desimportantes…) – você acertou na mosca! bj

  2. Pingback: Manifesto pelo “ter menos” | implosão do sentido

  3. Pingback: Eu nem sabia que podia ser “ombudsman do universo” | implosão do sentido

  4. Pingback: Caos, criatividade, desfoque e maconha. | implosão do sentido

  5. Pingback: “quem tiver de sapato não sobra” | implosão do sentido

  6. Pingback: O último mês de nossas vidas | implosão do sentido

  7. Pingback: The last month of our lives. | implosão do sentido

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s