Eu nem sabia que podia ser “ombudsman do universo”

Com o tempo vamos deixando pra trás as antigas relações hierárquicas de trabalho, de departamentos que não se conversam passamos para uma grande rede colaborativa, ampliando o escopo criativo, aproveitando os indivíduos como potências e, sobretudo, canalizando aquela paixão que leva alguém a passar dez anos fazendo algo sem grandes recompensas financeiras.

Não é pelo dinheiro que fazemos isso, mas pelo simples prazer de fazer algo que se gosta. Quando isso acontece, feriados e final de semana deixam de ser uma fuga do “trabalho” pra ser um respiro no processo (o melhor é jogar isso na cara daqueles chatos que falam de trabalho=tripalho). Mil vezes um trabalho que você goste e se realize (sendo assim, deixando de se encaixar na categoria “trabalho”), do que ganhar na mega sena.

Há algum tempo eu faço umas coisas, meio no empirismo, meio sem pensar, e hoje me dou conta de que são aptidões desenvolvidas a partir de algumas paixões minhas: pessoas, internet, caos. Como é difícil categorizar gostos aleatórios eu renomeei algumas das minhas “funções sociais” (tipo o cargo “diretor de whatever“), coisas que eu nem sabia que eu podia ser:

Camaleão Social: É permitir-se mudar e não se apegar às formas nem às ideias.  Me assumo leigo para evitar os vícios. A curiosidade mantém esse trânsito pelas culturas e pessoas. Também chamam de “stay foolish, stay hungry”.

Redator pra Web: Talvez minha única atividade “séria”. Disposição pra “sentar e conversar” é o primeiro dote. A internet é uma grande conversa, tem que saber dialogar. E o diálogo é multimídia: usa texto, vídeo, áudio, imagem, e os hiperlinks. O redator pra web capitaneia o navegar pelo oceano de informação da internet; saber montar as conexões pra tornar isso possível é imprescindível. (post atualizado: larguei mão da redação e tô pegando planejamento agora. a quem interessar possa.)

Designer de Convívio: Apresentar pessoas novas às pessoas velhas, tendo ideias novas a partir das ideias velhas. Deu pra entender? Uma das coisas que eu acho mais legal de fazer na VIDA é agrupar pessoas com ideias semelhantes e/ou hiper-opostas. Conecte os pontos entre os seus amigos, promova o embate de ideias entre eles. A analogia visual disso fica entre uma constelação e uma colcha de retalhos social.

Ombudsman do Universo: Ombudsman é o cara que ouve as críticas e sugestões. É a ouvidoria. Então, recebo as energias cósmicas a fim de uma melhora na autocrítica e nos serviços prestados à comunidade galática. Enfim, ligar o shuffle da vida.

Isso tudo tem a ver com meu outro post “reajuste de expectativas” também.

(fotos da Ana Cabaleiro)

5 respostas em “Eu nem sabia que podia ser “ombudsman do universo”

  1. Ótima reflexão! Adorei este texto. Adorei! Camaleão social… perfeito! Entrei aqui pra ler o post ““Occupy Wall Street não é um protesto, mas um protótipo” por Douglas Rushkoff”, e com certeza vou ler tudo daqui. Ganhou um novo leitor!😀 Grande abraço e parabéns!

  2. Pingback: O último mês de nossas vidas | implosão do sentido

  3. Pingback: The last month of our lives. | implosão do sentido

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s