Duas dicas pra VIDA

Duas premissas básicas pra direcionar a vida. Quase tudo que eu tenho feito se baseia nelas:

1. Como vai ser daqui a 10 anos?

Com a primeira eu quero dizer: Mudança. A mudança é a lei da vida, dizia o I Ching. Então se tudo muda, saiba que as coisas daqui a dez anos não serão como as conhecemos hoje. Se não por elas, por nós.

Dez anos não são necessariamente 10 anos. Pode ser 1 mês ou 50 anos. Acredite, tudo muda com o tempo. A barba cresce, os cílios caem, as pedras viram areia, e a areia vira pedra. Quanto tempo dura um horizonte no deserto? Quantas ideias lhe passam pela cabeça enquanto você tenta tirar aquele pedaço de carne que ficou entre os dentes depois do almoço? O recheio do tempo é o que diz quanto tempo o tempo realmente dura. E o Einstein com sua relatividade.

Sabendo que nada permanece inalterado, lembre-se de que alguma coisa vai mudar antes do “fim da história”. A maioria das pessoas trabalha com cenários atuais. Isso é estar preparado pro pulo do gato, pro bote da cobra, ou seja lá como você prefere chamar esse plot point da vida. Isso é ser capaz de conceber uma algo que ainda não tomou forma, é entender o processo e como ele vai levar as coisas até um ponto culminante que você imaginou. Mas cuidado, a ideia disso tudo é virtual, é só projeto. E projetos podem mudar no meio do caminho, tomar outros rumos, porque em “10 anos” tudo muda.

O que parece certo hoje amanhã já não vai parecer tão certo, e você vai reconsiderar algumas opiniões que pareciam ser tão ridículas. Não são. Depois de passar anos ouvindo metal e odiando “pagode”, você se pega fazendo aula de gafieira. “Um passo a frente e você não está mais no mesmo lugar.”

2. E se fosse o contrário?

Agora, e se fosse o contrário? E se o que eu imaginava pra dez anos fosse o inverso? Essa pergunta serve pra absolutamente qualquer coisa na vida.

Primeiro por ver o outro lado. Eu comumente uso isso em relação às pessoas: e se fosse eu no lugar dele? Se essa situação fosse comigo, será que eu faria da mesma forma? Por que ele age assim? Se eu tivesse o mesmo background dele, eu faria diferente? Em 10 minutos (espero que não demore 10 anos pra acontecer isso com você) você se pega pensando sobre qualquer situação como um todo, sem se apegar às tuas perspectivas. Essa é a diplomacia do indivíduo, que pela empatia ajuda a resolver essas pequenas guerras diárias, de conflitos por interesse.

Pensar no contrário da situação te leva ao outro extremo, mas não é ao extremo que você deve se ater, mas à “escala likert” ali no meio. É o que leva de um extremo ao outro, o 180º da vida. Olhar pros lados, sabe? Entender que existem tantas possibilidades e coisas a serem vistas quanto um passeio de Google Street View.

—-

No fim, é tudo sobre projeção de cenários. Projetar cenários futuros e dar um giro de 360º por eles. A vida é isso aí, como abrir uma porta no final de um corredor estreito, apertado, e dar de cara com um abismo.

(a primeira imagem é daqui e a segunda é daqui.)

Uma resposta em “Duas dicas pra VIDA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s